Mixkit – música e vídeo gratuitos para apresentações multimídia

Mixkit – música e vídeo gratuitos para apresentações multimídia

Mixkit – músicas e vídeos gratuitos para apresentações multimídia

Mixkit - Centenas de clipes de música e vídeo gratuitos para apresentações multimídia

Mixkit – Centenas de clipes de música e vídeo gratuitos para apresentações multimídia

O Mixkit é um site que oferece centenas de arquivos de música e vídeos gratuitos que você pode baixar para usar em seus projetos de multimídia. Os termos de licenciamento para ativos no Mixkit são claros. Você pode baixar vídeos e arquivos de áudio do Mixkit para reutilizar e remixar. Você não precisa dar crédito ao Mixkit, mas eles o apreciarão se você o fizer.

Para encontrar vídeos e faixas de música no Mixkit, você pode pesquisar por palavra-chave, clicar nas tags de conteúdo ou simplesmente navegar pelas galerias. Os vídeos que você encontra no Mixkit podem ser descritos como filmagens b-roll. Em outras palavras, você não encontrará vídeos dos seus programas de televisão favoritos ou canais do YouTube. Da mesma forma, a música no Mixkit é basicamente música instrumental.

Pedidos de Educação
O Mixkit pode ser um bom recurso para marcar e compartilhar com seus alunos quando eles precisarem de músicas ou vídeos para usar em seus próprios projetos de vídeo, podcasts ou outras apresentações multimídia. Se você está preocupado com o fato de seus alunos perderem tempo navegando pelas galerias do Mixkit, crie uma pasta compartilhada do Google Drive à qual você adiciona uma coleção de arquivos do Mixkit para seus alunos usarem.

Precisa de um LMS Moodle?

Precisa de um LMS Moodle?

Precisa de um LMS Moodle?

Então você tem que saber disso!

Já está na hora de ir para o próximo nível em termos de gerenciamento da aprendizagem na sua organização?

Você deve saber: Seja adquirindo um novo sistema ou trocando o que você já tem, ter um LMS é um dos pontos mais importantes e mais caros dentro da estratégia de implantação de uma universidade corporativa, no entanto existe aplicações open source como o Moodle, esta pode ser uma solução viável.

Neste post quero te ajudar a enfrentar esse desafio da maneira menos dolorida possível.

O que é

Learning Management System é o sistema que permite criar uma estrutura de treinamento e gerenciar conteúdos, usuários e recursos de comunicação.

Preciso de um Moodle?

precisa de um Moodle?

Uma das principais vantagens de ter um LMS Moodle é a possibilidade de medir e gerenciar resultados e progressos. Se você tiver que escolher uma, apenas uma, variável que determine sua escolha, foque nos relatórios.

Esses não podem faltar:

 Progresso do curso (quem concluiu, iniciou, abandonou, não acessou, reprovou etc);

– Data e período de disponibilização do treinamento;

– Último acesso do usuário (onde o aluno parou o curso?);

– Tempo gasto no curso e nas suas atividades (acessou fórum? respondeu avaliação de reação? fez a prova?);

– Cursos ativos e inativos;

– Cursos mais visualizados;

– Respostas das Avaliações de Conhecimento (qual a pergunta com maior percentual de erro?); 

– Taxa de evasão (por curso, por tela do curso)

– Relatório por filial;

– Avaliação de reação detalhada;

– Lista de presença.

Benefícios

Acesso 24×7

Os alunos podem acessar os treinamentos on-line a qualquer momento e em qualquer lugar, além de poder retornar ao curso para tirar dúvidas sempre que quiser.

Savings em estrutura de treinamento, acomodações, deslocamentos…

Não há necessidade de tirar o funcionário de seu posto de trabalho para treiná-lo, ele pode realizar o treinamento quando melhor lhe convier (a ele e ao seu gestor).

Equidade e centralização no acesso às informações

Todos receberão a mesma informação, evitando ruídos na comunicação.

Tomada de decisão consistente

Por meio de variados relatórios é possível colher dados fiéis que apoiem tomadas de decisão estratégicas.

Gestão do conhecimento

Compartilhar conhecimento por meio de fóruns, chats e mecanismos de gamificação gera motivação e engajamento entre os funcionários.

Geração de renda

Via um bom LMS você pode vender treinamentos para parceiros que necessitem de conhecimentos de sua indústria. Por exemplo: uma empresa de energia elétrica pode oferecer cursos de trabalho em altura para outras empresas que necessitem desse conhecimento.

O que considerar?

Espero que você possa explorar todas as potencialidades de um LMS, como:

Ferramentas de apoio à aprendizagem

– avaliação

– conteúdos

– repositórios

– glossário

– suporte à diferentes tipos de treinamento (mobile, social, flipped, presencial, gamificação etc) 

Ferramentas de comunicação

– fórum e chat

– webconference

– wiki

– interface amigável e moderna

– customização de acordo com o guideline corporativo

– catálogo de cursos

– notificações de novos cursos e progresso para o aluno

Ferramentas de gestão

– administração de usuários

– administração de perfis e responsabilidades

– suporte ao aluno

Ferramentas de gestão

– administração geral

– relatórios

– frequência e consistência de melhorias e recursos

– certificados

Acima, cometei com você sobre o que é um LMS, citando o Moodle, quais os benefícios de se ter essa plataforma e o que tipos de ferramentas de apoio podem ser interessantes que o LMS apresente.

Agora vamos falar sobre o processo de compra e vou denunciar alguns erros para que você não caia em armadilhas. vamos lá:

Processo de compra

1.      Definir necessidade

Qual o propósito de ter um LMS? Quais problemas serão solucionados com a compra de um LMS?

Procure respostas SMART (específico, mensurável, alcançável, relevante, temporal) para esses questionamentos, por exemplo:

– aumentar a produtividade dos funcionários em 20% até o final de ano por meio de aplicação de treinamentos online;

– alcançar o objetivo da companhia de aumentar o nível de satisfação do cliente em todas as empresas do grupo em 25% por meio de treinamentos a funcionários geograficamente dispersos;

– diminuir o tempo de treinamento de novos funcionários de 2 meses para 2 semanas até o final do próximo semestre;

– diminuir os custos de treinamento em 30% até o final do ano reduzindo despesas de acomodação, alimentação e deslocamento de alunos e instrutores.

Conhecer seu público

Uma vez definida a necessidade, é hora de conhecer a fundo a quem o LMS deve servir. Isso faz toda diferença na hora de escolher a plataforma que oferece os melhores recursos, por exemplo:

– se você é uma instituição de ensino ou tem um público jovem a ser atendido, seu foco provavelmente estará em garantir engajamento do aluno por meio de gamificação, social learning, ferramentas colaborativas etc;

– se sua organização é composta por executivos atarefados, então talvez precise voltar seus olhos para soluções mobile;

– sua empresa está em vários países? Então é primordial que você tenha uma plataforma multi-idiomas.

E mais: você pretende atender parceiros ou vender cursos na sua plataforma? Considere as necessidades desses públicos.

2. Definir requisitos de implementação

Aqui vamos tratar de especificações técnicas, funcionalidades, suporte da plataforma e orçamento. Nesta etapa pode ser importante envolver a área de TI de sua empresa para entender questões de segurança da informação.

Cada organização terá suas especificidades, mas algumas coisas são comuns a todas, por exemplo:

– certificados;

– relatórios;

– área de acesso para instrutores;

– integração de conteúdo de acordo com os padrões SCORM e TinCAN;

– diferentes perfis de acesso, de acordo com os papeis e responsabilidades de cada um.

Nesta etapa você já terá condições de optar por um LMS exclusivo, desenvolvido para suas necessidades e instalado no servidor da empresa, ou um LMS na nuvem (Cloud LMS).

Os custos envolvidos na aquisição de um LMS podem envolver: licença, implementação, customizações e upgrades. Há algumas maneiras de se apresentar essa cobrança:

– por número de cursos disponíveis na plataforma, independentemente do número de usuários;

– por número máximo de usuários durante determinado período (mensal, semestral, anual);

– por usuários ativos na plataforma;

– por recursos ou módulos oferecidos (módulo Relatório, módulo Avaliação etc)

– licença perpétua.

Considere tudo isso no seu orçamento.

E, por último, mas não menos importante: cronograma! O tempo de conclusão desse projeto terá como base:

– tipo de LMS (um Cloud leva menos tempo);

– necessidade de customização para o seu negócio (quanto mais específico ou regulado o seu negócio for, mais tempo será investido aqui);

– disponibilização ou migração de materiais (se os cursos ainda serão produzidos ou se precisarão de ajustes para se adequar ao novo LMS. No mínimo, HTML5 e SCORM!).

3. Pesquisa de mercado

Agora que você conhece suas necessidades e suas limitações, veja o que o mercado oferece:

– faça benchmarking em empresas com necessidades parecidas com as suas;

– elabore um bom briefing com as informações que você apurou até aqui e chame os principais players de mercado para uma conversa;

– navegue no site desses potenciais fornecedores – geralmente já dá pra ter um “cheirinho” do sistema;

– peça um trialsinta a experiência do LMS.

4. Avalie o LMS

Concluída a etapa anterior, você provavelmente tem dois ou três fornecedores que se encaixam no perfil que você busca.

Se o seu quadro de funcionários contempla um Analista de Implementação ou uma equipe especialista em treinamento, perfeito! Se não, busque um especialista para te ajudar nesse momento. Eu terei prazer em te ajudar nessa missão!

É importante que o maior número de áreas impactadas pela implantação do LMS participe dessa escolha, assim você já mitiga um dos principais riscos do projeto: não atender as necessidades específicas de um cliente interno.

Esse período de avaliação deve te trazer algumas respostas:

– Esse LMS atende as necessidades da organização?

– Qual o diferencial de cada fornecedor?

– Qual o custo da implementação? Lembre-se de considerar os custos indiretos.

– Quão flexível é o sistema?

– Faz integração com seus outros sistemas de gerenciamento?

– As atualizações e melhorias são frequentes?

– Qual o tempo médio de resolução de problemas?

– Qual o nível de suporte durante a implantação da plataforma?

– Como acontecerá a migração dos cursos e materiais que você já tem?

– As tarefas são essencialmente automáticas ou manuais?

5. Fechando negócio

Tenha em mente que escolher o melhor fornecedor entre suas opções é apenas metade do caminho (ou já é metade do caminho, se você vê o copo cheio!). Feito isso, agora é hora de:

– Comunicar a decisão a todos os envolvidos;

– Estabelecer um plano de ação e defina os papeis e responsabilidades de cada um dos envolvidos;

E, por último, sugiro que você avalie realizar a implementação por etapas, escolha uma escola de treinamento e siga em frente, mitigue riscos, aprenda com os erros e procure solucioná-los antes de passar para a próxima escola;

Erros comuns que devem ser evitados

São muitos fornecedores oferendo as melhores plataformas, por isso fique atenta para não cair em armadilhas.

  • Quero, posso, preciso?

Nenhuma plataforma vai resolver todos os seus problemas, pior ainda se você não conhece todos seus problemas! Avalie a real necessidade de ter um LMS, tenha clareza sobre quais são os objetivos e estratégias de treinamento da sua empresa. Pense a longo prazo!

  • Não deu match!

Cada empresa tem necessidades específicas, não é porque uma organização usa o LMS X-y-Z que você deve optar pelo mesmo. Verifique se as necessidades da sua organização são plenamente atendidas pelo fornecedor.

  • Pediu trial?

Faça um test drive na ferramenta, perceba a sua lógica, navegabilidade e analise cada detalhe.  Caso o fornecedor se negue, descarte-o antes que seja tarde!

  • Evitar DR

Converse sobre os planos futuros do fornecedor, peça que ele apresente um road map das atualizações e melhorias da plataforma.

  • Não falar de dinheiro

Ter um LMS não é um investimento que se faz apenas uma vez, considere os custos decorrentes de novas versões e de customizações e melhorias específicas para o seu negócio. É comum que esses valores adicionais representem cerca de 25% do orçamento inicial.

Considere também o número de usuários que terão acesso à plataforma (sejam eles funcionários, terceiros ou clientes). Em geral esse é um fator que compõe o custo do serviço.

  • Quem vê cara, não vê coração

Não basta ser bonita, tem que considerar a interface com o usuário. Avalie se a navegação é intuitiva.


E então? Me conta!

Ficou alguma dúvida? Você está a procura por um LMS nesse momento?

Precisa de um LMS Moodle?

Acessibilidade no Tema Moove para Moodle

Gosto de pessoas criativas, e quando estas resolvem criar soluções que impactam não devem ficar ocultas, hoje os méritos vai para Willian Mano Criador do thema Moove que está disponível gratuitamente no repositório do Moodle.

Willian Mano continua agregando valor no desenvolvimento do tema Moove, ele continua tentando atender às expectativas dos usuários, além de oferecer novas funcionalidades.

O mesmo assumiu um desafio sobre acessibilidade em ambientes virtuais de aprendizagem. Diversos usuários após testar e revisar o Moodle e os temas gratuitos, chegaram à conclusão de que o tema Moove é o mais acessível e inclusivo.

Aproveitamos a oportunidade para falar sobre melhorias que poderiam ser feitas, bem como novos recursos. Nessa conversa, descobri que o bloco de acessibilidade do Moodle está desatualizado e até mesmo procurando um novo mantenedor. Willian Mano decidiu incorporar os recursos do plugin do bloco de acessibilidade do Moodle ao tema, além de adicionar mais alguns recursos.

Porque a acessibilidade é importante

 

Porque a acessibilidade é importante

No passado, tive a oportunidade de trabalhar com uma pessoa com deficiência visual e, na época, vi o quão importante é ter um site nos padrões acessíveis. Desde então, tenho tentado aplicar esses padrões, da melhor maneira possível, em todos os trabalhos que faço e no tema Moove encontrei as melhores opções.

Configurações de tema

Moove possui um botão de configurações

Configurações de tema

Agora, o tema do Moove possui um botão de configurações. Clicar neste botão exibe uma janela modal, onde o usuário pode configurar o tema. Nesta versão inicial, temos apenas 2 opções:

Janela modal de configurações de tema

Janela modal de configurações de tema

Janela modal de configurações de tema
  1. Tipo de fonte – atualmente, existem apenas opções para escolher entre a fonte padrão e a fonte OpenDyslexic. Esta é uma nova fonte de código aberto criada para aumentar a legibilidade dos leitores com dislexia.
  2. Ativar barra de ferramentas de acessibilidade – a barra possui opções para aumentar e diminuir o tamanho da fonte do site, e três tipos diferentes de contraste de texto podem ser escolhidos.

A barra de acessibilidade foi inspirada no bloco de acessibilidade, mas todo o javascript foi reescrito, além de como as folhas de estilo são exibidas.

O bloco de acessibilidade funciona apenas nos cursos em que está presente; portanto, você pode ter configurações diferentes (como tamanhos de fonte diferentes) para cursos diferentes, isso pode causar confusão para os usuários.

Quando ativada, a barra de acessibilidade é exibida na parte superior do site, como você pode ver abaixo.

barra de acessibilidade

Barra de ferramentas de acessibilidade

E na imagem abaixo, você pode ver o tema com a fonte OpenDyslexic em ação.

fonte OpenDyslexic em ação.

Tema com a fonte OpenDyslexic

Então, se você gostaria de ter instalado este Moove que é um tema do Moodle que torna os ambientes on-line mais limpos e intuitivos para alunos e educadoresSinta-se à vontade para me enviar um email: (lazarojcs @ gmail.com).

Links interessantes

 https://github.com/willianmano/moodle-theme_moove/blob/master/classes/api/accessibility.php

https://moodle.org/plugins/pluginversions.php?plugin=block_accessibility

 https://moodle.org/plugins/theme_moove

Fonte:https://medium.com/@theme_moove/moove-theme-2020-and-accessibility-d1b921ee7073

Aprendizagem baseada em vídeo – benefícios e dicas no eLearning

Aprendizagem baseada em vídeo – benefícios e dicas no eLearning

Você já ouviu falar sobre o quão realmente poderoso é o aprendizado baseado em vídeo? A aprendizagem baseada em vídeo é o conhecimento ou as habilidades adquiridas ao ser ensinado usando vídeos.

O vídeo é a forma mais eficaz e diferenciada de mídia no ambiente virtual de aprendizagem. Há uma grande quantidade de pesquisas que mostram que os alunos entendem mais e retêm informações com mais eficácia usando o vídeo.

3 Benefícios da Aprendizagem Baseada em Vídeo

  1. É rentável. Os vídeos podem ser criados usando simplesmente um dispositivo móvel ou uma câmera conectada ao seu computador. Fora isso, tudo o que você precisa é de um software de edição de vídeo e um microfone.
  2. Eles são fáceis de fazer. Devido à simplicidade dos componentes necessários e aos avanços da tecnologia, não leva muito tempo para criar um vídeo instrutivo.
  3. É fácil compartilhar vídeos. Há uma grande quantidade de plataformas de hospedagem disponíveis, nas quais você pode facilmente enviar e compartilhar seus vídeos com seus alunos. A maioria dos sistemas de gerenciamento de aprendizado permite que você incorpore diretamente os vídeos no seu curso de eLearning.

Por que a aprendizagem baseada em vídeo é tão poderosa no eLearning?

Existem várias razões pelas quais essa estratégia instrucional é uma tendência muito crescente no eLearning, incluindo:

  • Os símbolos visuais são a principal maneira pela qual as pessoas absorvem informações. Adicionar símbolos auditivos para fortalecer essa aquisição de conhecimento, levando o aluno a elaborar as informações.
  • A aprendizagem baseada em vídeo tem a capacidade de fornecer aos alunos os quatro principais fatores relacionados à motivação na aprendizagem (ARCS):
    • Atenção
    • Relevância
    • Confiança
    • Satisfação
  • Os vídeos são uma ferramenta de suporte poderosa, pois ajudam os alunos a visualizar processos por meio de imagens, gráficos e animações.
  • Os vídeos são divertidos, trazendo um toque de entretenimento ao aluno.
  • A aprendizagem baseada em vídeo fornece mais presença social e imediatismo do instrutor no eLearning. O uso de vídeos para a comunicação do aluno por meio de fóruns de discussão habilitados para vídeo e o fornecimento de feedback de avaliação levam a uma autoavaliação, reflexão, engajamento e melhor desempenho do aluno.

Aprendizagem baseada em vídeo nas melhores práticas de eLearning

Os vídeos podem ser usados ​​como ferramentas de ensino valiosas e eficazes quando implementados adequadamente em um curso de eLearning. Revise as seguintes dicas sobre práticas recomendadas: 

  1. O aprendizado é mais eficaz quando distribuído em blocos. Fornecer aos alunos pedaços menores de vídeos é extremamente significativo e eficaz para os alunos. No entanto, não há problema em fornecer aos alunos vídeos mais longos, quando necessário.
  2. Foi demonstrado que os alunos preferem multimídia que possibilita aprendizado ativo. Vídeos que estão em conformidade com o pensamento cognitivo com a aprendizagem de multimídia geralmente são mais atraentes e memoráveis, especialmente quando se trata de aprender informações e processos mais complexos.
  3. Os vídeos nem sempre precisam ser sérios. Variações na fala e / ou adição de piadas é uma ótima maneira de ajudar o aluno a se conectar melhor com o tópico.
  4. Abrace a imperfeição. É útil para instrutores de eLearning ou designers instrucionais entenderem os desafios tecnológicos na criação e compartilhamento de vídeos. Isso ajudará o instrutor a parecer mais humano.
  5. Escreva suas idéias com antecedência, forneça notas resumidas e evite vídeos regravados.
Criando um vídeo instrutivo para um curso de eLearning

Criando um vídeo instrutivo para um curso de eLearning

Em ambientes de aprendizado on-line, a utilização da tecnologia no formato adequado é fundamental para os estilos de aprendizado de muitos alunos. Pode-se cansar-se de ler parágrafo após parágrafo de uma palestra, ansiando por um estilo de instrução mais atraente.

É aqui que o uso da mídia instrucional entra em jogo. Incorporar idéias normalmente ensinadas em um ambiente presencial, adaptando-as a um vídeo instrutivo, proporciona aos alunos um descanso refrescante dos métodos de instrução mais tradicionais.

Nesta postagem, você explorará o processo de criação de vídeos instrutivos, explorando alguns dos outros benefícios do uso dessa tecnologia no ambiente online.

Compartilharei com você meus segredos para criar vídeos instrutivos de alta qualidade. Também sei o que funciona e o que não funciona.

O que é um vídeo instrutivo?

Um vídeo instrutivo é qualquer vídeo que demonstra um processo, transfere conhecimento, explica um conceito ou mostra a alguém como fazer algo.

Exemplos  de vídeos instrutivos que  você pode criar incluem:

Micro Vídeos

Os micro vídeos  são vídeos instrutivos curtos, focados no ensino de um tópico único e restrito. Eles geralmente têm menos de um minuto de duração e atraem os consumidores de mídia atuais, que notoriamente têm curtos períodos de atenção.

Vídeos tutoriais

Os vídeos tutoriais  são o método instrutivo obrigatório para ensinar um processo ou fornecer instruções passo a passo. Geralmente, com 2 a 10 minutos de duração, os vídeos tutoriais podem aproveitar vários métodos instrucionais.

Às vezes referidos como vídeos de instruções, os melhores são cuidadosamente planejados e têm um toque profissional.

Vídeos de treinamento

Os vídeos de treinamento são projetados para melhorar as habilidades do funcionário no local de trabalho. As empresas costumam criar  vídeos de treinamento on-line  para cobrir tópicos interpessoais, como treinamento de conformidade e assédio, ou tópicos relacionados ao trabalho, como treinamento de hardware e software.

Os vídeos de treinamento costumam usar imagens de pessoas reais para conectar o treinador e o trainee. Podem ser  vídeos interativos  e geralmente se encaixam em um curso de treinamento maior.

Vídeos de apresentação

O vídeo que você está assistindo agora seria considerado um vídeo de apresentação. A gravação de uma apresentação  torna disponível para o público assistir ao fato – perfeito para pessoas que desejam revisar e reabsorver o conteúdo ou para aquelas que podem não ter podido comparecer pessoalmente. Isso pode ser tão simples quanto gravar apenas o áudio de uma apresentação ou tão avançado quanto gravar slides de pontos do PowerPoint, uma webcam e um microfone separado ao mesmo tempo.

A captura de palestras e apresentações tende a ser mais longa que um vídeo tutorial e abrange a duração de toda a aula ou apresentação. Isso os torna mais demorados para consumir e requer um nível mais alto de investimento do público.

Vídeos Screencast

Os screencasts  tendem a ser rápidos e informais e geralmente são destinados a um público menor do que os vídeos tutoriais. Esses vídeos são gravações de vídeo digital da tela do computador e geralmente incluem narração em áudio.

O formato se presta ao ensino just-in-time, onde um instrutor, colega ou gerente pode criar rapidamente um screencast para responder a uma pergunta ou esclarecer um conceito problemático. Freqüentemente considerados vídeos “descartáveis”, os  screencasts podem ser feitos rapidamente , com menor valor de produção e para uma finalidade específica – geralmente com uma vida útil curta.

Como você pode ver, os vídeos com instruções têm vários nomes diferentes. Mas, se você precisa criar um vídeo de instruções ou um tutorial, o objetivo é o mesmo. Ao contrário de outras formas de vídeo, um vídeo instrucional o instrui. É claro que, embora você não queira vídeos chatos, seu principal objetivo é que os espectadores compreendam e aprendam o que você está ensinando a eles.

Por que criar um vídeo instrutivo?

O eLearning oferece uma série de benefícios e desafios para o aluno e o instrutor. Um dos benefícios mais populares é a flexibilidade no tempo e no local. Os cursos assíncronos possibilitam que estudantes de todas as esferas da vida, em todas as regiões, promovam sua educação e treinamento.

Embora a maioria dos estudantes aprecie os benefícios dessa liberdade, alguns alunos acham que é difícil criar uma conexão pessoal com outros alunos e o instrutor em um ambiente on-line. Conexões e interações com outras pessoas é um aspecto importante do aprendizado e, como tal, é importante que os instrutores ofereçam oportunidades para essas conexões ao criar cursos on-line.

A pesquisa mostrou que um senso de presença e imediatismo do instrutor tem uma correlação positiva com a aprendizagem e a motivação dos alunos. Esses são alguns dos princípios que realmente distinguem o ensino a distância de qualidade de um programa que simplesmente entrega conteúdo.

O imediatismo do professor é a conexão pessoal e social estabelecida entre o aluno e o instrutor. Dedicar um tempo para estabelecer essa conexão com seus alunos geralmente criará um ambiente em que o aluno provavelmente participará e, se necessário, buscar assistência. A presença social é criada quando a comunicação aluno-professor e aluno-aluno está em um nível em que emoções e pensamentos são compartilhados e cada um é visto como uma “pessoa real”.

Criar um senso de proximidade e presença social do instrutor pode ser um desafio para um instrutor on-line. Comunicação forte e consistente é uma boa maneira de criar uma sensação de imediatismo e presença social. Uma das muitas estratégias de comunicação que um instrutor pode utilizar para enfrentar esse desafio é o uso de vídeo.

O vídeo não apenas permite que seu aluno ouça sua voz, mas também você e sua linguagem corporal e expressões faciais. Cada um desses elementos trabalha de maneira coesa para fornecer aos alunos uma conexão inicial com o instrutor, o que pode ajudar os alunos a permanecerem motivados. Essa é uma maneira dos instrutores não apenas disseminarem informações, mas também se humanizarem aos olhos dos alunos.

Aqui estão algumas estatísticas que podem lhe interessar em relação aos vídeos:

  • As pessoas preferem assistir a um vídeo em um curso 4 vezes mais do que em outra forma de mídia.
  • Dois em cada três funcionários concluem melhor as tarefas quando as instruções são fornecidas visualmente e absorvem as informações 7% mais rapidamente.
  • É provável que 7 em cada 10 millennials assistam a um vídeo em vez de ler texto.
  • O conteúdo educacional e de aprendizado é visualizado mais de um bilhão de vezes por dia no YouTube

Erros comuns que as pessoas cometem ao criar vídeos

Quando se trata de criar vídeos instrutivos, existem alguns erros comuns que as pessoas cometem. Aqui estão alguns que você pode evitar facilmente:

1. Não conhecendo seu público

Conhecer o seu público é fundamental. Se você não conhece seu público, é praticamente impossível criar um vídeo útil. A compreensão do seu público guiará as principais decisões sobre seus vídeos.

Informações gerais são úteis, mas pensar em um indivíduo específico que é representativo do seu público-alvo – quais são os problemas deles, por que eles assistirão ao seu vídeo, o que eles gostam e o que não gostam – o ajudarão a criar um vídeo mais focado e detalhado . Consulte o curso, Analisando seus alunos, para entender melhor seu público.

2. Tentando aperfeiçoar

Muitas vezes as pessoas se preocupam em deixar as coisas perfeitas. É bom lembrar que perfeito é uma ilusão. Se você começar com a perfeição em mente, isso paralisará seu processo criativo e você lutará para começar.

Lembre-se, o objetivo de criar conteúdo de vídeo não é criar o   vídeo perfeito , é criar um vídeo que ensine alguma coisa.

3. Preocupar-se demais com o equipamento

É fácil ficar impressionado e sentir que você não tem as ferramentas certas para criar vídeos de qualidade. É divertido ter o melhor e mais recente equipamento, mas está longe de ser uma necessidade. Aprenda o básico e comece a atualizar suas ferramentas. Não é necessário equipamento sofisticado para criar ótimos vídeos.

Todos nós assistimos a vídeos instrutivos de uma forma ou de outra. Criar esses vídeos pode parecer um desafio, mas com essas dicas e truques você pode perceber que não é tão difícil quanto pode parecer. Recomendamos que você execute algumas etapas para ajudar a sua produção de vídeo sem problemas.

Aprenda a criar um vídeo instrutivo

 

Aproveitou este Site? Por favor, espalhe a palavra :)